fbpx
Artigos

A liberdade de ser quem você é…

O empoderamento feminino é a consciência coletiva das mulheres que não deixam ser inferiorizadas pelo seu gênero e se impõem contra o machismo imposto pela sociedade. Taxadas desde sempre como o sexo frágil, as mulheres vêm se colocando contra qualquer tipo de julgamento e mostrando sua força. O machismo existente durante toda a história trouxe a cultura do estupro e a inferiorização feminina. Ainda hoje há esse tipo de pensamento, porém aos poucos ele vem sendo combatido.

No ano de 2009, o Talibã, movimento fundamentalista islâmico nacionalista difundido no Paquistão, proibiu mais de 50 mil garotas de frequentarem qualquer instituição de ensino. As mulheres não teriam mais o direito de estudar, tendo em vista que suas funções deveriam ser estritamente domésticas.

Malala Yousafzai, então com 11 anos de idade, tinha o sonho de crescer e tornar-se médica. O jornal americano The New York Times publicou um documentário contando a história da garota, que não se calou frente a essa proibição. Alguns anos mais tarde, a menina seria atingida com um tiro na cabeça enquanto voltava da escola, em represália por sua resistência. Malala sobreviveu e, após sua história correr o mundo, a menina tornou-se a pessoa mais jovem a receber o prêmio Nobel da Paz, com apenas 17 anos de idade. Malala é uma mulher empoderada, e histórias como a dela podem ser vistas em vários países – a diferença é que nem sempre tem repercussão ou um final feliz.

Infelizmente não é só em países de cultura oriental que existe o machismo. No Brasil, apesar desse termo estar sendo desconstruído, ainda existe a diferença salarial, participação no mercado de trabalho, equilíbrio entre a vida profissional e pessoal, desigualdade no serviço doméstico, entre tantos outros. Segundo a Central Única dos Trabalhadores, as mulheres brasileiras estudam mais, mas, ao mesmo tempo, possuem um salário menor e se ocupam mais com as tarefas domésticas do que os homens.

Vale lembrar que o empoderamento feminino contribui para que as mulheres tenham o direito de participar ativamente dos mais diversos tipos de debates, tomando decisões que influenciarão no futuro de sua região, país, ou sociedade como um todo.

Fundada em 2009, é uma editora voltada para a publicação de conteúdos científicos de pesquisadores; conteúdos acadêmicos, como teses, dissertações, grupos de estudo e coletâneas organizadas, além de publicar também conteúdo técnico para dar suporte à atuação de profissionais de diversas áreas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *