fbpx
Fatos_blog
Conteúdos Paco,  Paco na Imprensa

A crise do abandono da ciência e falta de investimento no Brasil

O Brasil possui, segundo a Unesco, 888 pesquisadores por milhão de habitantes. No topo do ranking estão Coreia do Sul, com 7.980, Nova Zelândia, com 5.578, e Alemanha, com 5.212 pesquisadores por milhão de habitantes. Esses dados, que estão no novo relatório de Ciência da Unesco de 2021, mostram como o investimento na ciência não tem sido prioridade.

De acordo com Flávia Calé, presidenta da ANPG, a falta de investimentos em ciência faz com que o país não tenha autonomia tecnológica e seja dependente de outras nações. “O mundo, cada vez mais, se divide entre países que produzem ciência e tecnologia e aqueles que só consomem. O Brasil, deixando de investir em ciência, abre mão de ter autonomia tecnológica.” 

Sem reajustes nas bolsas de pesquisas para pós-graduandos desde 2013, mestrandos e doutorandos enfrentam inúmeras dificuldades para manter suas pesquisas. É o caso de Daniel Valle, doutorando de Geologia pela USP. Segundo o pós-graduando, que se mudou para a capital paulista com o objetivo de ficar mais perto da universidade, metade do valor mensal da bolsa serve apenas para pagar o aluguel. O restante vai para alimentação e INSS.

Bolsas de mestrado e de doutorado da Capes ou do CNPq, órgãos ligados ao Ministério da Educação e ao da Ciência e Tecnologia, que custeiam a pesquisa, equivalem hoje a R$ 1.500 e R$ 2.200 ao mês. Desde o último reajuste, em março de 2013, a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do IBGE acumula 63,47% de alta. Isso significa que, caso as bolsas apenas fossem reajustadas para corrigir a inflação do período, os valores seriam de R$ 2.452,10 para mestrandos e R$ 3.596,41 para doutorandos.

Porém, as agências já anunciaram que o aumento feito pode ser apenas de 20% a 30%. A presidenta da ANPG, explica que embora este valor não seja o ideal, já é um marco importante.

Fonte: Rede Brasil Atual

Achou interessante? Clique aqui para saber mais.

Fundada em 2009, é uma editora voltada para a publicação de conteúdos científicos de pesquisadores; conteúdos acadêmicos, como teses, dissertações, grupos de estudo e coletâneas organizadas, além de publicar também conteúdo técnico para dar suporte à atuação de profissionais de diversas áreas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.