fbpx
[BLOG] SÉRIE PROFISSÃO PROFESSOR: Educar na educação infantil e seus desafios.
Artigos

Educar na educação infantil e seus desafios

Entra ano e sai ano, um problema permanece no país. Os desafios da educação são preocupações constantes de especialistas, organizações, pais, professores e da própria sociedade.

Quando o assunto é educação infantil, a situação não é diferente. Como se trata dos primeiros anos de vida da criança e de seu contato com o mundo exterior, esse momento de aprendizagem exige muita dedicação. Não significa, apenas, passar conhecimento para os pequenos, mas compreender o mundo ao seu redor e as emoções que os cercam.

Os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) mostram que o Brasil passou de 5,8, em 2017, para 5,9, em 2019, o que representa uma superação da meta nacional. Mesmo assim, alguns desafios permanecem e é sobre eles que vamos abordar.

Principais desafios para professores e educadores

Do professor, exige-se mais que a tarefa de educar. Entre as Diretrizes Nacionais do curso de Pedagogia, por exemplo, estão algumas competências que se espera do pedagogo, como compreender, cuidar e educar de forma que a criança consiga se desenvolver fisicamente, psicologicamente, intelectualmente e socialmente.

Nesse sentido, o professor se torna responsável por aplicar, junto com diretores e demais membros da escola, práticas pedagógicas capazes de contribuir para o desenvolvimento infantil.

Essas práticas perpassam por formação qualificada que vai além da graduação. A capacitação para saber lidar com crianças, suas emoções, as novidades do mundo de hoje e, até mesmo a conciliação com as tecnologias, são desafios que exigem do pedagogo.

Para se ter uma dimensão do problema, os dados do Censo Escolar da Educação Básica, de 2017, mostravam que 24,3% dos professores da educação infantil não tinham diploma universitário. Além da não formação, os docentes enfrentam inadequação em relação à disciplina lecionada.

Somado a esses fatores, está a questão da valorização profissional e dos salários. Os dados do Anuário Brasileiro da Educação Básica, de 2019, revelam que, em média, um professor da educação infantil, com ensino superior, recebe cerca de R$ 3.823.

O valor é 30% a menos que o salário de demais profissionais com a mesma escolaridade. Se comparada a média de salário do docente com os profissionais da área de exatas ou de saúde, a diferença é de 50% a menos.

Para as crianças, a educação emocional também é uma tarefa difícil

Não é incomum ouvir de educadores que muitos pais deixam a tarefa de educar quase que exclusivamente para os profissionais da educação. No ambiente escolar, o professor precisa saber lidar com uma sala de aula lotada e com diversos perfis de crianças.

O lado emocional de cada criança costuma ser diferente. Enquanto umas conseguem trabalhar melhor com a frustração de perder um jogo, por exemplo, outras ficam irritadas quando isso acontece.

Intermediar o conflito para que sentimentos de empatia se desenvolvam requer comprometimento tanto da criança quanto do professor. Como a personalidade do aluno, nessa fase, está em formação, é possível trabalhar conceitos como autoestima e autoconfiança.

O diálogo entre pais e escola

Mais que encaminhar os pequenos à escola, os pais precisam acompanhar o desenvolvimento das crianças. Isso acontece tanto por meio das tarefas de casa quanto por acompanhamento da situação escolar na escola.

Em ambientes autoritários, a criança pode ter dificuldade de aprendizagem. Se o problema não for exposto aos professores, torna-se complicado vencer as limitações.

Mas é possível superar os desafios?

A resposta é sim. Além da questão da qualificação dos docentes, é preciso estimular o diálogo constante com a sociedade. Por isso, o trabalho do professor se desenvolve de maneira mais eficaz quando ele recebe o apoio de outras áreas, como a assistência social e a psicologia.

Recursos, estrutura física das escolas e atividades lúdicas também contam pontos no desenvolvimento infantil. Quando há um olhar mais próximo para essa realidade, fica mais fácil estabelecer metas de ensino capazes de atender às necessidades da educação infantil.

Fundada em 2009, é uma editora voltada para a publicação de conteúdos científicos de pesquisadores; conteúdos acadêmicos, como teses, dissertações, grupos de estudo e coletâneas organizadas, além de publicar também conteúdo técnico para dar suporte à atuação de profissionais de diversas áreas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *