Cultura,  Estudantes,  Pesquisadores,  Professores

Grotesco Tragicômico no Palhaço!

Um texto que, embora inacabado, tornou-se uma das obras alemãs mais montadas ao redor do mundo. Foi adaptada até mesmo para ópera e cinema ao longo dos anos. Woyzeck foi a última peça do dramaturgo alemão Georg Büchner e é a obra abordada em Grotesco Tragicômico no Palhaço! por Leandro Lagos.

Um estudo que se mostra cuidadoso e cujo desenvolvimento permeou toda a vida acadêmica do autor. Reflete a estética do teatro através de um olhar original sobre o feio e o bizarro. Aqui vale lembrar o que Umberto Eco havia apontado em sua obra: “a feiura é muito mais complexa de se definir do que a beleza.”

Mais do que isto, é elemento que modifica a estética artística, e no seu contraponto, ajuda a definir o belo. É natural, assim, que ao entendermos o contexto e significado da beleza percebamos que grotesco, nem sempre, é o seu oposto. Como então este tema é analisado na obra de Lago e qual a relação com o teatro de Büchner?

O grotesco em Woyzeck e as inspirações de Leandro Lago

A gênese de todo este trabalho está na investigação do autor acerca das aproximações entre o teatro expressionista e a obra Woyzeck. Os estudos em estética acabaram exacerbando o interesse de Leandro Lagos por uma das características principais do expressionismo: o grotesco.

Tal estética é marcadamente contrastante e rica em formas híbridas, rompendo com as representações que priorizam o belo. Ao negar muitas vezes as concepções clássicas e fechadas, esta opção estilística mostrava-se ao autor como revolucionária, contestadora e atual. Foi desta percepção que Grotesco Tragicômico no Palhaço! começou a surgir.

A aproximação com a obra Woyzeck revelou para Leandro Lago diversos momentos do texto em que o grotesco marca presença. O resultado foi o trabalho de conclusão de curso do autor, intitulado “A estética grotesca: um diálogo dos contrários na obra Woyzeck de Georg Büchner”. E esta, naturalmente, não foi sua única visita ao tema.

Grotesco Tragicômico no Palhaço!

Em 2012 o grotesco em Woyzeck foi retomado por Leandro na especialização em Estética da Universidade Federal do Maranhão. É neste momento também que o autor percebe a forma recorrente do grotesco em personagens cômicos populares ao longo da história. São pantomimos, bobos da corte, e claro, palhaços.

Surge então, uma analogia entre os tipos de clowns e o grotesco na peça de Büchner, uma relação que se estabelece também entre os personagens criados por Lago para sua idiossincrática apresentação dramatúrgico-dissertativa. Este é o elemento mais inusitado e original da tese de mestrado que resultou no livro.

A escrita vale-se de elementos cênicos e se desenvolve como um espetáculo em 4 atos. A voz de Leandro é ouvida através do Pesquisador. É esta personagem que serve de interlocutor àqueles presentes em Büchner: o Doutor, o Capitão e Woyzeck.

Nas entradas do autor-pesquisador é que se conceituam o grotesco, partindo de Mikhail Bakhtin e Wolfgang Kayser. Elas historicizam, ademais, a polarização entre Neoclassicismo e Romantismo – marcantes no contexto em que foi escrita a peça. Explicitam-se, por fim, as marcas do grotesco no Doutor, no Capitão e em Woyzeck, mostrando sua proximidade com palhaços.

O autor – Leandro Lago Santos Pinheiro

Leandro Lago Santos Pinheiro é graduado em Educação Artística com Habilitação em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Maranhão (2008). Especializou-se em Estética pelo Departamento de Filosofia da Universidade Federal do Maranhão UFMA (2012) para depois tornar-se Mestre em Artes. Com área de concentração em Artes Cênicas, o grau foi conquistado no Instituto de Artes da UNESP em 2016.

Além disto, ele é participante de dois grupos de pesquisa. Um deles é O CIRCO E O RISO vinculado ao Instituto de Artes da UNESP. O outro é DRAMATURGIA E CINEMA, vinculado à Faculdade de Ciências e Letras da UNESP de Araraquara. Atualmente o autor de Grotesco Tragicômico no Palhaço! é professor de Arte do IFMA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *