Cultura,  Estudantes,  Pesquisadores,  Professores

Adoção e Devolução

Segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Brasil possui cerca de 47 mil crianças e adolescentes vivendo em abrigos. Destes, apenas 17,8%, fazem parte do Cadastro Nacional de Adoção (CNA) e podem encontrar uma nova família por vias legais. Quanto a isto, é preciso salientar que, nem sempre os finais felizes são as únicas opções possíveis. É o que mostra o livro Adoção e Devolução, que trata do caráter paradoxal que envolve o ato de adotar alguém.

De um lado, há o abnegado gesto de amor em tornar um menor abandonado em parte de uma nova família. De outro, a violência simbólica ou visceral que ocorre quando uma criança tem de voltar à instituição de origem. Para entender o paradoxo enunciado, é fundamental destrinchar de modo sistemático os pontos que dificultam a adoção.

A obra se vale, assim, do que foi apreendido em contato com quatro famílias, nas quais houve a filiação adotiva. No processo de pesquisa também estão incluídos os próprios filhos adotivos. Todos os envolvidos compartilharam suas experiências – de alegria e dor, incluindo os casos que tratam da “rejeição” de adotados e requerentes – com a pesquisadora e autora do livro, Patrícia Moraes.

Os desafios e complexidades do ato de adotar e ser adotado

Quando analisamos o que se discorre no livro resultante da dissertação de Patrícia Moraes, é perceptível a complexidade da adoção. Transpor o vínculo de filiação, afinal, não é algo simples e, por vezes, não se realiza por completo. Para a criança são tremendos os impactos de tal situação.

Especialmente, quando ela retorna para a instituição, depois de conviver com pais adotivos por algum tempo. Para que profissionais e outros indivíduos envolvidos nesse processo entendam melhor seus desafios e consequências, é preciso abandonar os reducionismos. É por isso que, o livro a Adoção e Devolução reflete extensamente a respeito dos dois lados envolvidos nesse contexto.

A obra trata das famílias requerentes, de todo o percurso de adoção e as dificuldades posteriores para estabelecer vínculos com as crianças adotadas. Da mesma forma, é abordado também o percurso dos filhos adotivos nesse caminho de vinculação familiar. Nesse tocante, não se deixou de lado abordagem da possibilidade de elaboração de um processo de luto pela família originária.

Adoção e Devolução

A obra em questão é fruto da dissertação de mestrado de Patrícia Jakeliny F.S. Moraes, defendida em 2011, na Universidade Católica de Brasília (UCB). Intitulada originalmente de “Ressignificando o processo de adoção: encontros e desencontros”, o trabalho teve origem em 2005. Foi na cidade de Ceilândia que a autora teve seu primeiro contato com crianças e adolescentes em situação de abandono.

O estudo responde, ao longo de cinco capítulos, as indagações levantadas pela pesquisadora, após entrar em contato com essas crianças abandonadas. Dentre as questões que a autora busca entender estão a motivação dos requerentes para adoção, por exemplo. Além disso, ela aborda o espaço que a criança adquire na família para expressar sua história e subjetividade.

Outra questão levantada no livro, é como uma boa orientação pode facilitar a vinculação da criança aos pais adotivos. As contribuições da família e amigos no processo, os impactos da devolução nas crianças e os fatores que podem gerar encontro ou desencontro entre requerentes e adotados são também analisadas por Patrícia. Por fim, a autora trata de como o processo tem a força de ressignificar a vida dos envolvidos.

Sobre a autoria – Patrícia Moraes e Vicente Faleiros

Patrícia Jakeliny Ferreira de Souza Moraes é graduada em Serviço Social pela UNB (2011). Além disso, é especializada em elaboração em projetos sociais pela Universidade Gama Filho (2009). A autora possui também Mestrado em Psicologia na Universidade Católica de Brasília (UCB – 2011) e Doutorado em Psicologia – (UCB – 2016). Ela possui experiência como docente em Serviço Social (FACISA/Unaí) e Psicologia na UCB.

Sua experiência também se estende à elaboração e captação de recursos em projetos sociais. Vicente de Paula Faleiros, por sua vez, orientou a dissertação que resultou na obra Adoção e Devolução. Além de vasto currículo acadêmico, ele possui pesquisas e publicações em diversas áreas. Para citar algumas: políticas sociais, serviço social, cidadania, criança e adolescente e saúde pública.

https://www.pacolivros.com.br/adocao_e_devolucao/prod-3756665/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *