Estudantes,  Institucional,  Notícias Acadêmicas,  Pesquisadores,  Professores

Por trás da poeira cósmica surge um par de estrelas brilhantes

Por entre a poeira cósmica, um par de estrelas aparecerá com todo seu brilho dentro de poucos anos. Observações analisadas pelo professor Augusto Damineli, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da USP e uma equipe de astrônomos descobriram uma nuvem de poeira que encobre a visão da Eta Carinae, um sistema binário formado por duas estrelas ligadas entre si. Antes, os cientistas acreditavam que o aumento de brilho da Eta Carinae surgiu na estrela principal do par, o que levaria a uma explosão em algumas décadas. No entanto, a nuvem de poeira existente na frente da estrela está se dissipando e  deve desaparecer por completo em aproximadamente dez anos, calcula o professor. N

Nuvens de poeira

Professor Augusto Damineli: nuvem de poeira encobre Eta Carinae como um véu, cada vez mais fino, e em breve estrelas gêmeas aparecerão nuas no céu – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

A análise revelou que, além de três nuvens de gás (chamados glóbulos de Weigelt) existe uma quarta que obstrui sua visão quando observada do planeta Terra. “Uma dessas nuvens se desfez recentemente, um indício de que o mesmo deverá acontecer com a que tampa nossa visão”, afirma Damineli. Anteriormente, acreditava-se que a estrela estava aumentando seu brilho e explodiria em menos de um século. “Já se sabia que havia algo na frente da Eta Carinae. Agora comprovou-se que há uma nuvem de poeira que a encobre como um véu, que está ficando cada vez mais fino, e em breve as gêmeas aparecerão nuas no céu.”

Leia a matéria completa aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *