SINGLE BLOG ARTICLE

No livro Palavras de Revolução e Guerra o autor relata os segredos nas entrelinhas dos discursos da Imprensa Paulista em 1932.

A presente obra é resultado da dissertação de mestrado de Lucas Palma Mistrello, defendida em 2015, na Unifesp, sob orientação da professora Márcia Barbosa Mansor D’Alessio. O autor buscou compreender e refletir sobre as manifestações e os movimentos políticos na Revolução Constitucionalista de 1932, buscando entender o engajamento nela presente, bem como na chamada guerra paulista. Seu estudo compreende ainda a força que o discurso e a linguagem carregam nos processos históricos, legitimando ou deslegitimando os processos sociais.

Lucas Palma Mistrello demonstra de que forma o discurso é potente no convencimento de mudanças de valor moral por meio de falas bem arranjadas e críticas. O autor buscou justamente evidenciar como o sucesso de uma mudança social depende de seu sucesso linguístico, isto é, do discurso convencedor por trás dessa revolução.

Como foi o que ocorreu com a Revolução de 1932, que teve seu processo baseado não só nas questões de cunho político, mas também nas manobras de engajamento por meio da linguagem. O autor, para tanto, analisou os discursos presentes nos jornais da época e a forma como convenciam seus leitores a participarem da revolução em questão.

A Revolução Constitucionalista de 1932 é entendida como um processo político de reação das elites paulistas à Revolução de 1930. No entanto, essa compreensão não dá conta de explicar o massivo engajamento da população paulista naquele evento.

Se é uma reação da elite, como tantos populares se envolveram nesse processo? Seria apenas por meio de um discurso convencedor, crítico e influenciador que uma população se submeteria a embarcar em um movimento armado, arriscando sua vida? É esse discurso que Lucas Palma Mistrello analisa tão bem em sua pesquisa.

O autor consegue demonstrar com excelentes fundamentos, a partir de estudiosos como John Pocock e Skinner, que a linguagem é determinante para se garantir as grandes mudanças sociais e políticas. Sua principal fonte de análise foi o Jornal das Trincheiras, elaborado em agosto de 1932, pela Liga de Defesa Paulista. Esse era o principal veículo de informação da Revolução de 1932, também teve como fonte de análise o Jornal da Família Mesquita, além dos periódicos A Platéa e as folhas da Noite e da Manhã.

O destaque de sua pesquisa se dá por conta da minuciosa análise dos jornais em questão e como sua linguagem engajada se propunha a convencer toda uma população de abarcar em tamanha Revolução. Além do engajamento, o autor ainda aponta para a construção de um discurso, em que vigoravam os conceitos políticos apresentados pela imprensa da época e a martirização de São Paulo.

Lucas Palma Mistrello, mestre e graduado em História pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Foi indicado ao Prêmio Pereira Barreto, oferecido pelo Departamento de Cultura Científica da Unifesp, na área de Humanidades, em 2011, pela Iniciação Científica que originou a pesquisa dessa obra sobre a imprensa paulista de 1932.

Compre o seu exemplar: https://www.pacolivros.com.br/palavras_de_revoluao_e_guerra/prod-6373053/

RELATED POSTS

Ler o mundo com as mãos e ouvir com os olhos: reflexões sobre o Ensino de Geografia em tempos de inclusão

Postado em 7 de janeiro de 2019

Contos de Fadas e Desenvolvimento Psicossexual: O Que Pensam e Dizem as Crianças, o Que Fazem os Professores

Postado em 7 de janeiro de 2019

Viviane G. Freitas – Feminismos na Imprensa Alternativa Brasileira

Postado em 20 de dezembro de 2018

Feitiço Caboclo: a trajetória de um indígena, no Brasil setecentista, para encontrar seu lugar na hierarquia social

Postado em 3 de dezembro de 2018

O cavalo na equoterapia: um livro marco, na história da equoterapia do Brasil

Postado em 3 de dezembro de 2018

Práticas para Aulas de Língua Portuguesa e Literatura: ensino fundamental

Postado em 19 de novembro de 2018

Memória e materialidade

Postado em 6 de novembro de 2018

Impacto das imagens digitais é tema de livro

Postado em 25 de outubro de 2018

Um Maravilhoso Imaginário

Postado em 23 de outubro de 2018

Livro da Paco Editorial é um dos premiados no 59º Prêmio Jabuti!

Postado em 12 de outubro de 2018

O itinerário pioneiro do urbanista Attílio Corrêa Lima, de Anamaria Diniz

Postado em 25 de setembro de 2018

Manual Jurídico da Escravidão: Império do Brasil.

Postado em 10 de setembro de 2018

Direto da Amazônia, livro revela como a castanha-do-pará ganhou o mundo

Postado em 25 de junho de 2018

História de Salvador Allende no Cinema de Patricio Guzmán

Postado em 9 de outubro de 2016

Glauber Rocha para todos: livro resgata processo criativo do mais famoso cineasta brasileiro.

Postado em 5 de setembro de 2016

Amizade em Tempos de Tecnologia e o impacto das redes sociais

Postado em 16 de outubro de 2015

“Todos na Produção”

Postado em 12 de outubro de 2015

Introdução à Sociologia da Juventude

Postado em 4 de outubro de 2015

Modernidade em Desalinho

Postado em 18 de outubro de 2014

Livro sobre gestão da comunicação será lançado na Aberje

Postado em 15 de outubro de 2014

Mercado Central

Postado em 21 de outubro de 2013

Comércio Exterior

Postado em 20 de outubro de 2013

Os Carnavais Cariocas

Postado em 7 de outubro de 2013

O Perfil do Gestor de Comunicação

Postado em 5 de outubro de 2013

As Relações Diplomáticas entre Brasil e Uruguai (1931-1938)

Postado em 12 de outubro de 2011

Comentários

Tem 0 Comentar post

ADD YOUR COMMENT