SINGLE BLOG ARTICLE

Uma vida permeada por transformações políticas, sociais e culturais, que se tornaram traços modernos, apostando na caricatura e nas artes gráficas. Nascido no Império (1874) e chegando até a segunda estada de Getúlio Vargas no poder (1953), Raul Pederneiras foi um icônico artista brasileiro que trouxe novos conceitos à modernidade, em desalinho com antecessores e contemporâneos. É através dessa figura com características tão marcantes no país que surge a obra Modernidade em Desalinho – Costumes, Cotidiano e Linguagens na Obra Humorística de Raul Pederneiras (1989 – 1936), do autor paulista Rogério Souza Silva, atual professor na Universidade do Estado da Bahia (Uneb).

O que se pode encontrar na obra é um pouco de uma das grandes figuras que o país produziu ao longo do último século, com destaque para o gênero em quadrinhos que, apenas nas últimas décadas, ganhou a devida repercussão. Analisando a obra de Pederneiras durante um recorte temporal específico (1898 a 1936), Rogério Souza Silva aponta a qualidade e a genialidade de um traço, como o título da obra traduz, desalinhado com questões modernas em voga na época. Não obstante, o artista carioca, consagrado em diversos periódicos, como o Jornal do Brasil, virou referência a inúmeros chargistas pela sua potencial capacidade de desmontar pressupostos, até então intocáveis, em segmentos da classe artística nacional.

Em referência a Angelo Agostini, seu antecessor nas artes gráficas – de quadrinhos a charges –, assim como aqueles que trabalharam junto a Pederneiras, citando Calixto Cordeiro e José Carlos de Brito e Cunha, esse desalinhamento é perceptível nas formas e traços amplamente explorados pelo autor nas densas e impactantes 592 páginas, especiais para os graduados e pós-graduados em História, mas que servem de referência para qualquer amante da trajetória artística nacional.

Com um valor tanto documental quanto teórico, a obra é dividida em quatro capítulos, cada um com suas nuances: desde uma análise quase que biográfica da trajetória artística de Pederneiras em meio à confusão que a arte moderna trouxe ao país; passando pela sua habilidade e múltiplas faces no desenvolvimento das suas obras – que contavam com peças de teatro e poesias com linguagem própria e singular, além de telas em aquarela –;  chegando até o que Pederneiras trazia em suas charges alinhadas à política que, na época, como a história bem nos traz, vivia turbulências e mudanças de poder.

Uma obra com um primor ímpar, recomendada para quem busca conhecer como apenas um artista desalinhou todo o conceito moderno, principalmente nas artes gráficas. E isso com a experiência de um autor capacitado a falar sobre o período: Rogério publicou, em 2001, um livro denominado Antônio Conselheiro: a fronteira entre a civilização e a barbárie, além de desenvolver, atualmente, a pesquisa Nada cordiais: as revistas O Malho e Careta na crise política de 1930. Trata-se de um recorte temporal que vale cada página, já sendo um cânone iconográfico brasileiro.

Compre agora em nossa loja virtual: https://www.pacolivros.com.br/Modernidade_em_Desalinho/prod-5166689/

RELATED POSTS

Manual Jurídico da Escravidão: Império do Brasil.

Postado em 18 de junho de 2018

Livro sobre gestão da comunicação será lançado na Aberje

Postado em 13 de Abril de 2018

“Todos na Produção”

Postado em 28 de Março de 2018

As Relações Diplomáticas entre Brasil e Uruguai (1931-1938)

Postado em 23 de Março de 2018

Comércio Exterior

Postado em 10 de Março de 2018

Os Carnavais Cariocas

Postado em 5 de Março de 2018

Introdução à Sociologia da Juventude

Postado em 20 de Fevereiro de 2018

Um Maravilhoso Imaginário

Postado em 16 de Fevereiro de 2018

O Perfil do Gestor de Comunicação

Postado em 13 de Fevereiro de 2018

Mercado Central

Postado em 8 de Fevereiro de 2018

O itinerário pioneiro do urbanista Attílio Corrêa Lima, de Anamaria Diniz

Postado em 12 de Janeiro de 2018

Livro da Paco Editorial é um dos premiados no 59º Prêmio Jabuti!

Postado em 1 de dezembro de 2017

Bem-vindo ao blog da Paco Editorial.

Postado em 19 de novembro de 2016

Comentários

Tem 0 Comentar post

ADD YOUR COMMENT